Entregando Minha Vida Ao Senhor


- Qual a imagem que temos ao imaginarmos nossas vidas nas mãos de Deus?
É mais fácil pensarmos no lápis, pois sabemos seu formato, seu peso, seu cheiro. Mas a vida não tem essa forma. Talvez alguém tenha imaginado o seu próprio corpo, ou o coração para serem entregues a Deus, representando suas vidas.


       Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará. 
Salmos 37.5
    “O que darei ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?” Pensei no que realmente eu poderia dar ao Senhor por tudo o que Ele faz por nós. Pensei na vida. A vida é o bem mais valioso que temos, depois de Jesus. Tão valioso que o próprio Jesus Cristo se entregou por ela.
     Então, irmãos, o que é entregar a vida a Deus? Será que o corpo representa bem a nossa vida? E entregar nosso caminho ao Senhor? Será que a vida e o caminho aqui têm o mesmo sentido? E quanto a deixar Deus no controle de nossa vida? É até mais fácil de imaginar, de visualizar. E são coisas que nós declaramos muito facilmente, desde o momento da conversão, e muitas vezes mais. Será que a prática é tão simples quanto à teoria, nos entregarmos ao Senhor, fazer Sua vontade?
      Êxodo 14 retrata a passagem pelo mar Vermelho, e após a travessia, Deus mandou Moisés contar o povo. Eram 603.550 homens capazes de ir à guerra – na conta não estão as mulheres, os levitas, os com menos de 20 anos, nem os mais velhos. Provavelmente mais de um milhão de pessoas. Será que todo esse povo, quando viu Moisés entrando no mar, acreditou que conseguiriam passar? Será que não houve quem temesse, durante a travessia, que o mar se fechasse, ou os egípcios os alcançassem? Eu acredito que alguns duvidaram, outros temeram, porque eram homens, e homens são limitados. Por mais que nós declaremos: “Senhor, a minha vida é Tua, toma o controle, faz o gol”, a gente sempre quer dar um palpite. Ou pior: não entende os planos de Deus e faz tudo diferente! É a ansiedade humana que muitas vezes dificulta o agir de Deus.
Entregando a vida a Deus
Existem algumas atitudes que devemos observar, que acompanham a vida de quem entrega sua vida a Deus. Eu gostaria de compartilhar com os irmãos algumas dessas atitudes.

1º Quem entrega a vida a Deus é:
            Dizimista;
            Ofertante;
            Tem a mão aberta para ajudar os outros financeiramente.

Irmãos, nos meus poucos anos de cristã, eu percebi que dinheiro é uma das coisas que mais dificultam o crescimento de um crente. Tem crente que parece que deixa de ser crente quando o assunto é dinheiro. Mas a verdade é que é impossível entregar a  vida a Deus e não entregar o dízimo. A menos que a pessoa não receba absolutamente nada. Independente da quantidade, se é pouco ou muito, nós precisamos ser fiéis. 


Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. Mateus 25:23

Por que é impossível entregarmos a vida a Deus e não sermos dizimistas? Ser dizimista é questão de fidelidade, e questão também de confiança. De crer que nada vai faltar. As pessoas que tratam o dinheiro como ele deve ser tratado sempre têm dinheiro. E não é questão de fortuna, de ajuntar, porque quando nós confiamos em Deus, nós fazemos com R$ 100,00 o que outros fazem com R$ 200,00, e às vezes falta para eles enquanto para nós sobra. E eu digo que todos que são dizimista fiéis já experimentaram isso em suas vidas. É promessa de Deus.
Há pessoas que não entregam o dízimo porque acham que o dinheiro vaia para o Pastor, ou tesoureiro, ou administrador, presidente, enfim. Um pastor, irmãos, não somente o nosso, ele estuda e sabe que a mão de Deus pesa sobre um mau líder, assim como pesou sobre Saul, sobre Uzias, sobre Ezequias, quando seu coração se exaltou, e até sobre Davi quando pecou. A mão de Deus pesou sobre Davi – não vai pesar sobre um mau líder? Eu creio verdadeiramente que esse não é caso do nosso pastor, nem dos tesoureiros, mas ainda que fosse, a Palavra de Deus é clara: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa.” Não existe aqui condição quanto a quem vai administrar o dinheiro, e especular se ele vai ou não usufruir do dinheiro não cabe a nós. É tarefa de Deus, e Ele está vendo, e vai cobrar de quem tiver que cobrar. Mas nós devemos nos lembrar que o pastor é ungido de Deus, e quem se levanta contra um ungido de Deus cai diante do Senhor. Logo, ficar imaginando se vão ou não usar bem o dinheiro, ou se a igreja precisa ou não é desculpa para não dizimar.
E não é apenas ser dizimista, mas também ofertante. Dízimo e oferta são coisas diferentes. Ah, mas tem oferta para obra, para EBF, para o Congresso, tem cantina, tem almoço, é muita oferta; eu já dei meu dízimo, está de bom tamanho. Irmãos, nós somos uma igreja. Não temos convênio com a prefeitura; nosso convênio é com a gente. Nós precisamos manter a igreja e as atividades que aqui são feitas. Lembrando que além da ordenança, existe a promessa: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes”. Malaquias 3:10
Não podemos ter medo de não poder pagar as contas; precisamos confiar em Deus, porque isso também é se entregar ao Senhor.
Além do dízimo e da oferta, quem declara que entrega a sua vida a Deus tem um coração aberto para ajudar os demais.
Eu acho que quem não é dizimista e ofertante não consegue ajudar os outros. E ajudar não é só dar 1 kg de arroz, uma roupa velha.  Às vezes, o que essa pessoa precisa é de dinheiro. R$ 50,00, R$ 100,00.

E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. Atos 2.45

Eu não estou dizendo que nós precisamos adotar o irmão, nem sair dividindo nosso salário. Infelizmente tem crente que vive de pedir, de chorar miséria. Mas há momentos que alguns realmente precisam de uma ajuda, e se nós declaramos que entregamos a vida a Deus, nós também nos entregamos pelos irmãos, porque Jesus fez isso por nós.
Todavia fizestes bem em tomar parte na minha aflição.  Filipenses 4.14

Como os filipenses fizeram em relação a Paulo, façamos em relação a nossos irmãos. Estejamos sensíveis às necessidades do próximo, para o fortalecimento do Corpo de Cristo.

2º Quem entrega a vida a Deus vive a vontade de Deus.

Mas meus irmãos, que subiram comigo, fizeram derreter o coração do povo; eu porém perseverei em seguir ao Senhor meu Deus. Josué 14.8

Se nós deixamos Deus no controle, então nós temos que fazer o que Ele quer. Ele está no controle! E isso vale para tudo em nossa vida. Fazer a vontade de Deus é perseverar em seu caminho, ainda que os demais se desviem ou seus corações se derretam. Josué foi um dos espias, que foram espiar a terra prometida antes que Israel subisse. Os irmãos lembram-se dos doze homens que subiram somente ele e Josué creram que era possível possuir a terra; somente eles perseveraram no que Deus tinha mostrado. Isso é fazer a vontade de Deus.
Quando fazemos a vontade de Deus, nós perseveramos, nós esperamos nele. E esperar é em todos os sentidos. Se eu deixo minha vida amorosa nas mãos de Deus, Ele vai me dar alguém segundo o Se coração, no tempo dele. Ele não vai procurar o cara que ganha uma fortuna, ou o galã de novela, ou o que fala cinco idiomas: Ele vai me dar o que eu preciso, e Ele sabe porque eu coloco nas mãos dele.
Quando nós fazemos a vontade de Deus, nós não nos preocupamos com status, com posição social. Nós nos colocamos à disposição de Deus para fazer o que Ele quiser, onde Ele quiser. Porque Deus escolhe cada um para uma tarefa. Mas o que as pessoas fazem?
- Deus chamo para ser advogado? Amém, serei advogado em nome de Jesus!
- Deus chamou para ser médico? Amém, serei médico em nome de Jesus!
- Deus chamou para ser gari? Amém, serei professor em nome de Jesus!
As pessoas se preocupam com o status, com a posição social. Claro, nós temos que procurar o melhor, mas de nós nos entregamos a Deus, nós temos que fazer a vontade dEle. Como eu posso dizer”usa-me” se Deus manda ir para a direita e eu vou para a esquerda?
Existe uma ideia de que o serviço público traz estabilidade. Quem dá estabilidade é Deus! Quem se entrega a Deus, vive conforme a vontade de Deus, tem estabilidade em qualquer lugar, em qualquer emprego. 
Porém Samuel disse:
Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. 1 Samuel 15:22

Do que vale ganhar um bom salário, dar o maior dízimo da Igreja, e não fazer o que Deus quer?
Mais uma vez: nós devemos, sim, procurar o melhor para nós. Mas se nós declaramos para Deus que Ele está no controle, que nós queremos ser usados, que nos entregamos a Ele, então precisamos estar dispostos a fazer o que Ele quer, e estar onde Ele quer nos colocar.

Porque todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus. Filipenses 2.21

Eu já vi vários casos de pessoas que estavam na faculdade por estar, porque os pais disseram que era a melhor opção; gente fazendo administração, medicina, por fazer, por causa dos pais, por causa do status. Não há nada melhor do que fazer o que a gente gosta. E no nosso caso, de cristãos, antes de iniciarmos uma carreira, é interessante buscar o Senhor e pergunta-lhe o que Ele tem para nós, porque Ele nos responde. Pai, mãe, antes de julgarem seus filhos pelo que eles optaram por profissão, questionem se é ou não a vontade de Deus. Não queiram obrigar seus filhos a estudar ou trabalhar em algo diferente porque eles serão infelizes. Se seu filho trabalha como músico, se é esse o chamado de Deus, não o acuse de não trabalhar, não o difame diante das pessoas; porque ele trabalha, ganha dinheiro e ainda faz a vontade de Deus.
Quando nós entregamos a vida a Deus e vivemos a vontade de Deus, nós não deixamos a vaidade ganhar espaço em nossas vidas, mas entende e reconhece que tudo vem dEle, é por Ele e para Ele.
Viver a vontade de Deus é entender o que Ele representa em nossas vidas e colocá-lo no lugar que é dEle; atribuir ao Senhor os benefícios que nos concede. Quando nós fazemos a vontade de Deus, nós entendemos que Ele é quem nos faz ter sucesso, nos faz prosperar.

Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça; 2 Corintios 9.9

Nós semeamos, mas a semente vem de Deus, e é Ele quem a multiplica. Quando nós fazemos a vontade de Deus, nós reconhecemos que não somos capazes de nada. Que não foi a nossa mão que nos deu a vitória. Nós reconhecemos a dependência que temos do Senhor. Fazendo a vontade de Deus, toda a glória que nós recebemos, nós damos a Deus, porque sabemos que é fruto do trabalho dEle em nós.
Quem entrega a vida a Deus e vive a vontade de Deus não dá espaço para que ídolos ocupem o Seu lugar. Nada toma o lugar de Deus em suas vidas. Nada é mais importante que a oração, a leitura bíblica, o culto a Deus. Não programa nenhuma atividade para o domingo porque é um dia que ele dedica com prazer ao Senhor, e às atividades na casa de Deus.
Quem vive a vontade de Deus dá bom testemunho, perto ou longe da Igreja.

Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho. Filipenses 1.27

Quem vive a vontade de Deus tem comportamento condizente com a Palavra, não se assenta com os escarnecedores, e foge da aparência do mal. Não se alegar com piadas indecentes, e sente até raiva quando alguém fala mal de Deus.  Além disso, não faz questão de chamar atenção pela aparência física, não provoca as pessoas, e sempre tem uma palavra abençoada para falara ao próximo.

Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; Filipenses 2.14-15

Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor. Filipenses 4.5

Ter o coração aberto para ofertar, viver a vontade de Deus, perseverando nEle, ignorando a posição social, a vaidade, os ídolos e dando um bom testemunho são apenas algumas das atitudes de quem entrega a vida a Deus. Entregar a vida a Deus é viver como Jesus viveu, é se sacrificar.
O verso 15 de Salmos 116 diz: “Preciosa é à vista do SENHOR a morte dos seus santos”. A morte aqui também representa o sacrifício; a morte para o mundo para termos uma vida nova em Deus.
Amém!