Um Lugarzinho no Céu


Texto Base:
“Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como escaparemos nós, se não atentarmos  para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois, confirmada pelos que a ouviram;"
Hebreus 2.2-3
Definição de céu: Espaço ilimitado e indefinido onde se movem os astros; Firmamento; região para onde vão as almas dos justos; paraíso; A Providência de Deus. (FERREIRA, 1993).
        Desde pequenos ouvimos que as pessoas boas vão para o céu. O céu sempre foi visto como um lugar bonito, de paz, o descanso perfeito para nós, seres humanos, depois de nossa longa (ou curta) jornada na terra.
        É comum todos desejarem que seus entes queridos estejam neste tão belo lugar. Quando alguém morre, eles, os parentes, sempre dizem: “fulano foi para o céu” ou “ele está lá com Deus, olhando por nós”, ou ainda: “ele está em um lugar lindo!”


  

        Muitos dizem que não acreditam no céu, ou no inferno. Mas as pessoas acreditam, sim, que vão para lá após a morte. A verdade é que ninguém quer deixar de ‘descansar em paz’.
        Além disso, além do desejo de estar no paraíso, grande parcela da sociedade defende que os indivíduos maus vão para o inferno – aqueles que roubam, matam, enfim. A passagem para o paraíso é uma vida de boas obras, de ajuda ao próximo, de coração puro, vida regrada... e fugir à regra leva os demais para o inferno.
        Seria uma boa forma de dividir toda a população após a morte. Seria, se a Bíblia não fosse clara quanto ao fato de que ir morar no céu com Deus depende exclusivamente de andarmos com Deus na terra. Em Efésios 2. 8 – 9 está escrito:
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”
        Não é pelas obras. A entrada no paraíso não pode ser comprada por boas ações. Ela é dada de graça por Deus, por meio de Jesus Cristo, que veio à terra exclusivamente para nos salvar. A salvação, citada no texto base deste escrito, é tão importante quanto necessária para nossas vidas na terra, e após a morte. E ignorar esta salvação gera consequências. Da mesma forma que a transgressão e a desobediência foram justamente retribuídas.
“Quero, pois, lembrar-vos, embora já estejais cientes de tudo um vez por todas, que o Senhor, tendo libertado um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu, depois, os que não creram; e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do Grande Dia; como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circuvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.”
Judas 1.5-7
        Tal como a transgressão contra a Lei rendeu punição aos trangressores, o pecado, ou a negação da salvação renderão punição aos que a negarem.
        Ora, o próprio Deus veio à esta terra nos salvar. Vimos na descrição do céu que lugar maravilhoso ele é. E a Bíblia ainda o descreve melhor:
“E a fábrica de seu muro era de jaspe, e a cidade, de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam ardonados de toda pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; o quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola, e apraça da cidade, de ouro puro, como vidro transparente.”
Apocalipse 21.18-21
        Foi este belíssimo cenário que Deus deixou para vir à terra como homem. Deixou as ruas de ouro pelas ruas de barro...sem mencionar o sacrifício, a morte de cruz, por nós. Tudo, para nos salvar. Não podemos negligenciar tal ato de amor. Pelo contrário, é necessário aceitá-lo, para garantirmos nosso lugar junto a Deus em Sua cidade (sem comparação com qualquer outra que conheçamos!).
        Aceitá-lo não é difícil. A Bíblia também diz que a fé é pelo ouvir a Palavra de Deus. Ouvindo Sua Palavra, buscando-O, seremos capazes de entender Seu plano de salvação para nós. E aí, andaremos com Deus aqui nas ruas de barro, e também nas ruas de ouro do Céu. Mas os outros, os covardes, incrédulos, abomináveis, assassinos, impuros, feiticeiros, idólatras e mentirosos (Apocalipse 21.8) vão morar um pouco mais ao sul. Num lugar bem quentinho.
Referências:
A Bíblia Sagrada. Traduzida em Português por João Ferreira de Almeida. Ed. 1995 São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2007.
A Bíblia da Mulher. São Paulo: Mundo Cristão, 2003.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Minidicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, RJ: Editora Nova Fronteira, 1993.