Inimigo Íntimo

Texto Base:

“Quero que saibam, irmãos, que aquilo que me aconteceu tem antes servido para o progresso do evangelho. Como resultado, tornou-se evidente a toda a guarda do palácio e a todos os demais que estou na prisão por causa de Cristo. E a maioria dos irmãos, motivados no Senhor pela minha prisão, estão anunciando a palavra com maior determinação e destemor. É verdade que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade. Estes o fazem por amor, sabendo que aqui me encontro para a defesa do evangelho. Aqueles pregam a Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso. Mas, que importa? O importante é que de qualquer forma, seja por motivos falsos ou verdadeiros, Cristo está sendo pregado, e por isso me alegro. De fato, continuarei a alegrar-me, pois sei que o que me aconteceu resultará em minha libertação, graças às orações de vocês e ao auxílio do Espírito de Jesus Cristo. Aguardo ansiosamente e espero que em nada serei envergonhado. Pelo contrário, com toda a determinação de sempre, também agora Cristo será engrandecido em meu corpo, quer pela vida quer pela morte; porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Caso continue vivendo no corpo, terei fruto do meu trabalho. E já não sei o que escolher! Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor; contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo. Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé, a fim de que, pela minha presença, outra vez a exultação de vocês em Cristo Jesus transborde por minha causa. Não importa o que aconteça, exerçam a sua cidadania de maneira digna do evangelho de Cristo, para que assim, quer eu vá e os veja, quer apenas ouça a seu respeito em minha ausência, fique eu sabendo que vocês permanecem firmes num só espírito, lutando unânimes pela fé evangélica, sem de forma alguma deixar-se intimidar por aqueles que se opõem a vocês. Para eles isso é sinal de destruição, mas para vocês de salvação, e isso da parte de Deus; pois a vocês foi dado o privilégio de, não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele, já que estão passando pelo mesmo combate que me viram enfrentar e agora ouvem que ainda enfrento. “
Filipenses 1:12-30

        No mundo tereis aflições. Repetimos essa frase sempre que enfrentamos as dificuldades de viver neste mundo corrompido. Mas ultimamente tenho pensado que Jesus não quis nos alertar somente a respeito do mundo não cristão, mas inclusive a respeito das aflições advindas de dentro da igreja. Jesus foi perseguido principalmente pelos que se diziam religiosos, os doutores da Lei. E, como imitadores de Cristo...
        O diabo procura atacar o trabalho que é bem feito. Os ministérios que realmente funcionam, as pessoas que amam missões, que pregam o Evangelho não importa o que aconteça; esses são os alvos preferidos do inimigo. E ele, como não brinca em serviço, usa os fiéis, os irmãos da igreja, para seu ataque. O pior é que há pessoas que parecem alheias a essa realidade. Ora, a Bíblia nos diz que não devemos dar brecha ao inimigo; se o fizermos, ele vai entrar. E se entrar, o que impede que ele nos use para destruir o ministério de alguém? 
        Todos aqueles que conhecem a Bíblia, que são leitores assíduos, sabem que a vida cristã é assim. Afinal, nossa guerra não é contra a carne:

“Pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridade, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.”
Efésios 6.12


Porém, mesmo sendo conhecedores deste fato, nós nos deixamos abalar. Somos humanos. Somos fracos. Temos uma grande dificuldade em enxergar as coisas espirituais. É mais fácil culpar o irmão, ele está bem ao nosso lado; nós estamos vendo aquilo que ele está fazendo contra nós! E então, nós desanimamos. Ficamos com raiva. Sem vontade sequer de olhar para a cara do responsável pela nossa dor.
Mas graças a Deus, porque Ele é Bom! Deus sabe de todas as coisas, literalmente. E quando estamos dispostos a fazer Sua obra, Ele nos prepara, nos dá todo o suporte necessário para o trabalho. Seja através da ministração de Sua Palavra, de uma música, de uma revelação. Às vezes, Ele usa o ímpio para nos fortalecer.


        O que não podemos esquecer é que a obra é de Deus, não dos homens. Os projetos de Deus não falham. O propósito de Deus não falha. Por isso, precisamos ser um com o Pai; precisamos de fato fazer a vontade dEle, pois então não seremos envergonhados. O diabo vai te dizer que é você quem está errado; ele vai usar os seus irmãos, diáconos, presbíteros, ministros, e até o seu pastor para te dizer que é você quem não está fazendo a vontade de Deus; você é aquele que não está em comunhão, não obedece, não respeita. Por isso, repito: precisamos ser um com o Pai. A vontade de Deus não é a dos homens; logo, nem todo mundo vai gostar de ouvir ou ver o seu trabalho, por desejar realizar a própria vontade, e não a de Deus. E isso vai te trazer inimizades e porfias, dentro da igreja e do seu ministério. 
Há ainda algo interessante que Deus faz: Ele é quem escolhe aqueles que vão trabalhar com você na obra. Deus escala o time do jeito dEle, e é fácil perceber quando o time está completo: todos pensam da mesma forma, são atacados da mesma forma, caminham juntos. E todos vêem o agir de Deus. Estar no time não nos isenta do desanimo, mas quando um cai, o outro o ajuda a levantar.

“Cada um ajuda o outro e diz a seu irmão: Seja forte!”
Isaías 41.6

        Não podemos esquecer que a obra é Deus, e nem desanimar. Esteja atento! Se um irmão seu cair, levante-o! É difícil, mas precisamos evitar cultivar a ira, a raiva, a vontade de dar o troco, ou de sumir da igreja. Na verdade, se existe perseguição, é porque o trabalho está sendo bem feito: o Nome de Deus está sendo exaltado, e o diabo está incomodado. Não desista! 

“Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem desanimem por causa do rei da Assíria e do enorme exército que está com ele, pois conosco está um poder maior do que o que está com ele. Com ele está somente o poder humano, mas conosco está o Senhor, o nosso Deus, para nos ajudar e para travar as nossas batalhas. E o povo ganhou confiança com o que disse Ezequias, rei de Judá.”
2 Crônicas 32: 7-8