A Família Que Deus Criou

A Família Que Deus Criou

No final do ano passado foi aprovada uma nova PEC que determina como é formada a família: pai, mãe, e filhos. Isso foi feito porque a nova sociedade tem demandado uma resposta do governo em forma de apoio para os novos modelos de família que existem hoje. Em especial, pela aceitação da sociedade de famílias que sempre foram consideradas como disfuncionais: as homossexuais.
Nós, que conhecemos a Palavra de Deus, sabemos como é a base familiar que Deus criou. Em Gênesis 2, nos versículos de 21 a 24, vemos:

“Então o Senhor Deus fez com que o homem caísse num sono profundo. Enquanto ele dormia, Deus tirou uma de suas costelas e fechou a carne naquele lugar. Dessa costela o Senhor formou uma mulher e a levou ao homem. Então o homem disse: Agora sim! Esta é carne da minha carne e osso dos meus ossos. Ela será chamada de mulher porque Deus a tirou do homem. É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.”

E como consequência dessa união temos os filhos. Salmos 127, verso 3:



“Os filhos são um presente do Senhor; eles são uma verdadeira bênção.”

Esses versículos exemplificam o modelo de família que Deus criou. E também servem de base para a PEC. Mas, do meu ponto de vista, a iniciativa do governo peca em não aceitar demais relações de parentesco como família. Sabemos que é assim exatamente para que as famílias disfuncionais não sejam chamadas ‘famílias’. Infelizmente, por causa disso, avós que criam netos, mães solteiras, pais solteiros, não são consideradas famílias.

A Criação da Família

Sabemos que o homem é a coroa da criação. Deus fez o homem de forma especial, e o colocou em posição especial, diante de toda a criação. Enquanto Adão nomeava o que Deus fez, ele percebeu que não tinha ninguém que lhe fosse semelhante. Então, do homem, Deus fez a mulher.
A mulher é semelhante ao homem desde a criação. Muitos usam o fato de que Deus retirou um osso da costela de Adão para justificar que a mulher não é nem superior nem inferior, mas igual ao homem.
Após fazer a mulher, Deus a entregou ao homem, e os dois se tornaram uma só carne. Este é um dos mistérios de Deus: como duas pessoas podem ser uma só. O casamento, a união entre homem e mulher representa a aliança humana de mais importância que existe. Nada é mais forte que a relação entre homem e mulher: mãe e filho, pai e filho, irmãos: nada supera a importância da união homem x mulher.
Vemos, contudo, que existem equívocos no tratamento dos membros da família. Há mulheres que colocam os filhos acima dos maridos. Há maridos que consideram suas mães mais importantes que suas mulheres. É claro que na família cada membro tem seu papel, e todos são importantes. Mas nenhuma relação pode sobrepor a de marido x mulher. Os filhos são presentes, são frutos do relacionamento. Um filho não pode substituir o lugar do marido na casa, nas decisões da família, enfim. Da mesma forma, a mãe não pode ocupar posição de mais valor que a mulher. De preferência, não deve nem se envolver no casamento dos filhos. Conselhos bons são uma bênção, mas os maus podem destruir um lar.
Após a criação do homem e da mulher, Deus os abençoou, e eles tiveram filhos. E a partir de então a terra passa a ser povoada, visto que os filhos foram deixando pai e mãe, e unindo-se às suas mulheres, criando novas famílias, gerando mais filhos. Então vêm os netos, sobrinhos, as famílias vão aumentando, a sociedade surge.

A Família Para Deus

De toda a criação, a melhor obra feita por Deus foi o homem. E Deus não queria que ele ficasse só, por isso lhe deu a mulher, e deu a eles filhos, e netos etc.  Se a família não fosse importante, Deus não a teria criado. Além disso, a Bíblia traz, em todos os livros, algo relacionado a ao menos uma família.
A primeira instituição criada por Deus foi a família. Foi criada antes da igreja, antes do trabalho, antes do futebol. Ela só não é mais importante do que Deus.
Por ser tão importante, a família exige responsabilidade. Como dito antes, cada membro da família tem seu valor, e cada um tem seu nível de responsabilidade. A maior foi dada ao marido, o cabeça da casa. Temos vários casos de famílias inteiras abençoadas por causa das atitudes do cabeça: Josué declara que ele e a casa dele serviriam ao Senhor; a obediência de Davi e o amor que tinha por Deus garantiu que sempre houvesse um descendente no trono. Deus também abençoa a família através da mulher, como fez com Raabe. Ela foi obediente, e toda sua família e parentela ficou a salvo quando Israel destruiu Jericó. Há também exemplos de homens que pecaram e levaram maldição para suas casas: Corá, Datã e Abirão, que se rebelaram contra Moisés, e Acã, que escondeu um ídolo proibido: eles e todos os membros da família morreram.
Vemos hoje ainda famílias abençoadas porque seus líderes são obedientes e justos, e famílias amaldiçoadas porque os líderes são  injustos, maus. A infidelidade, por exemplo, não afeta apenas o relacionamento entre o casal, mas também os filhos, senão outros membros também.
Se na família, o marido ou pai não serve a Deus, a responsabilidade passa a ser daquele que é servo. Raabe foi obediente; ela não era responsável pela sua família, mas tornou-se o elo até a salvação.  Quando o homem não age como o cabeça do lar, cabe ao membro cristão levantar-se em favor de sua família. Respeitando sempre o pai ou marido como cabeça - ele pode não agir corretamente, mas é o cabeça da casa. É dele que Deus vai cobrar mais tarde.

A Família na Sociedade

As sociedades surgiram graças as famílias. Casais, com filhos. Então vem os netos, bisnetos, e o povo vai aumentando. Essa é a única forma de manutenção da sociedade.
Porém, a própria sociedade hoje defende que a família tradicional não é mais um modelo a ser seguido.
O conceito de família vem sofrendo alterações já há décadas. Primeiro, tínhamos os casamentos mantidos dentro da própria família por diversos motivos: crenças, raça, dinheiro. Abraão orientou seu servo a trazer uma mulher do parentesco para casar com Isaque; Jacó foi também para a terra de seus parentes, e lá encontrou suas esposas.
Com o tempo, a história, migrações, guerras, exílios, os povos se misturaram mais, e os casamentos mistos tornaram-se mais comuns.
Outro acontecimento que mudou a cara das famílias foi o controle de natalidade. Antigamente, os casais não tinham o costume de evitar filhos. Hoje, ter muitos filhos é até motivo de piada.
Ainda quanto à mudança na família, temos as mulheres, até então mães, ou ajudadoras do marido com serviços simples, geralmente caseiros, saindo para trabalhar, ganhando até mais que os próprios maridos às vezes.
Todas essas circunstancias alteraram a imagem da família, a forma como a sociedade enxerga a família, e a forma dos membros da família em si interagirem. A mulher, por também trabalhar e ganhar dinheiro, já não é dependente do marido, já não precisa esperar por ele para decidir por algo. Os filhos já não convivem com os pais como antes. Ficam mais tempo com os avós, ou tios, ou em creches e escolas.
A demanda por trabalho, a necessidade de se ganhar dinheiro, as novas tecnologias também são hoje fatores que interferem na relação familiar e na forma como a mesma se apresenta na sociedade.
Além de todos os fatores que vem alterando a família que Deus criou, temos os relacionamentos contrários à vontade de Deus. Temos famílias hoje formadas por casal de homens ou de mulheres, e certas vezes com filhos. Se Deus determinou que homem e mulher devem criar os filhos, há então motivo para isso. Existem estudos que explicam a importância da figura do pai e da figura da mãe. Pai e mãe são exemplos para os filhos, de homem, mulher, marido e esposa.

Nosso Papel na Sociedade - Família Farol


Numa vizinhança sempre tem fofoqueiros. Sempre tem alguém que sabe tudo dos outros. É importante que esse alguém só tenha coisas boas para falar das nossas famílias. Nós precisamos ser exemplos. Não adianta apenas andar com a Bíblia embaixo do braço. Nosso testemunho diz muito mais a nosso respeito que nossas palavras, e as pessoas veem isso. Elas veem como você trata seus filhos, seu cônjuge, seus pais. É através das nossas vidas que as outras famílias verão como é ter uma família abençoada por Deus. Temos que ser exemplo sempre, dentro e fora da igreja. Um farol - o farol ilimuia e guia os navios no mar. Nós estamos aqui para iluminar os caminhos dessas famílias, e guiá-las para Cristo.