Minha Família na Presença de Deus

Minha Família na Presença de Deus

Texto Base: Salomão levou a filha do faraó da cidade de Davi para o palácio que ele havia construído para ela, pois dissera: "Minha mulher não deve morar no palácio de Davi, rei de Israel, pois os lugares onde entrou a arca do Senhor são sagrados". 2 Crônicas 8:11

 
            Salomão havia se unido à filha de faraó em um casamento político. Ela não era israelita, e tampouco tinha os costumes do povo de Deus. O próprio Deus já havia admoestado o povo quanto à casamentos mistos, sabendo a influência que um cônjuge tem sobre o outro.
            Salomão estava ciente de que sua esposa não era digna de estar em lugares considerados sagrados por não reconhecer a santidade de Deus. É importante lembrar que naquele momento, a presença de Deus não se manifestava como hoje. A arca de Deus representava sua presença; para estar diante de Deus era necessário que houvesse sacerdotes; a expiação pelo pecado ou até mesmo a gratidão a Deus exigiam sacrifícios. Jesus veio para simplificar as coisas. Falar com Deus hoje depende apenas de clamarmos a Jesus (com fé, claro). Não precisamos de algo que represente a presença de Deus pois o Espírito Santo (que é o próprio Deus) habita em nós. Até então, porém, havia todo um procedimento para que Deus se manifestasse; ter a presença de Deus era algo valiosíssimo. Por isso, a importância quanto ao local por onde a arca passara – era onde o próprio Deus havia passado. Logo, Salomão leva sua esposa para um palácio construído somente para ela. Mas a atitude de Salomão foi correta?
            Salomão era rei. Ocupava uma posição especial. Diante de todos, mantinha a postura de rei. Somente os que conviveram com Salomão na intimidade realmente sabiam como ele era. Ao levar sua mulher para outro palácio, feito somente para ela, Salomão a afasta da presença de Deus, e também da sua. Ele poderia ter aproveitado a convivência com sua mulher para testemunhar de toda a sabedoria que Deus lhe concedeu. Mas ele a afastou. Como ela iria conhecer a Deus assim? Diferentemente do que Salomão fez, é indispensável que coloquemos nossas famílias na presença do Senhor, no lugar sagrado. Salomão teve uma grande chance de ensinar à egípcia tudo o que Deus lhe ensinara, de compartilhar com ela tudo o que Deus lhe mostrara. Ele preferiu, contudo, a afastamento.
            O afastamento na família pode causar danos irreparáveis. Adultério geralmente começa com afastamento físico e emocional; suicídio também começa com afastamento. Uma mãe que convive sempre com seu filho, faz parte do dia a dia dele, conhece seus amigos, seu jeito, seus gostos, vai perceber quando algo estiver diferente. Vai perceber a frustração, ou a depressão que antecedem tendências suicidas; vai perceber se alguma violência tiver ocorrido. O problema é que muitos estão fazendo como Salomão: afastando suas famílias de si mesmos e de Deus.
            O afastamento não é apenas físico. Duas pessoas no mesmo ambiente, cada uma com seu celular na mão dando atenção aos aparelhos e não uma a outra estão afastadas. Elas podem estar sentadas lado a lado. Mas estão afastadas. Essa é nossa realidade hoje! Salomão tirou sua mulher de onde a arca estivera por entender que era um lugar sagrado – hoje entendemos que é no lugar sagrado onde nossa família precisa estar!
            Precisamos estar perto dos nossos familiares. Eles serão impactados e alcançados pelo nosso testemunho. E não é o testemunho falado, mas o vivido: o comportamento diante das mais diversas situações da vida; o amor sem medidas, o perdão, a compaixão: Cristo em nós!

            Precisamos colocar nossa família onde Deus está, no lugar santo! É ali onde Deus irá curá-la, operar milagres, se manifestar. Não precisamos mais de uma arca, O Espírito Santo – o próprio Deus – habita em nós. Não precisamos mais de sacerdotes ou sacrifícios – Jesus já fez tudo o que era necessário. Se quisermos o bem para nosso lar, se quisermos o melhor para nossa família, precisamos colocá-la pertinho do Pai, no lugar santo, aos pés de Jesus, na presença de Deus.